quinta-feira, 30 de agosto de 2007

Semana de Fotografia do Recife vai pra Tamarineira



Mostra inclui projeção de Sentimento Antigo, de Renato Teles e Germano Rabello

Hoje à noite (quinta, a partir das 18h), a 1ª Semana de Fotografia do Recife estende sua programação para as instalações do Hospital Ulysses Pernambucano, mais conhecido como Hospital da Tamarineira (próximo à Praça da Jaqueira).

Ótima idéia da produção do evento que, com a intenção de ampliar o diâmetro geográfico da programação (em espaços como a Comunidade do Pilar – (Recife Antigo) e a Estação Central do Metrô), termina por contribuir com o intercâmbio entre artistas e público com os moradores da casa de repouso e tratamento psiquiátrico, num contexto que tem a arte como denominador comum.

Uma das projeções se chama Sentimento Antigo (Recife, 4'30''), do fotógrafo Renato Teles, com edição de Germano Rabello. Nela, Teles reúne imagens de sua mãe e seus 11 filhos, em várias fases de sua vida, sendo a primeira quando ela tinha 16 anos. Como trilha sonora, o fotógrafo escolheu a composição "Nocturno", do espanhol Manuel De Falla (1876-1946).

Além de "Sentimento Antigo", serão exibidos os seguintes trabalhos:

Papangu 3'
Junancy Wanderley (PE)

O colorido das flores 9'
Michelline F. Rodrigues (PE)

Recifes 3'32"
Rosaclara Freire (PE)

Abstrações fotográficas 4'
Enio Castelo (CE)

Via Láctea 1'17"
Alexandre Belém (PE)

Um ser 3'05"
Orlando Nascimento (PE)

"Assim como . . ." 4'
Patrícia de Freitas (PE)

Favela 12-24 2'48"
Chico Porto (PE)

Uma viagem lomográfica 2'47"
Patrícia Leal (PE)

RecifeMostraLOMO 6'27"
Coletivo RecifeMostraLOMO
(PE, SP, PR, RJ, GO, EUA)

Múltiplas visões 9'30"
Câmara Escura (PE)

Doutores da Alegria 5'
Helder Tavares (PE)

Corredor cultural 9'42"
Marcelo Feitosa (PE)

E o Sertão não virou mar 4'16"
Pedro Moreira (PE)

Mazurca do Alto do Moura 6'08"
Raquel Santana (PE)

Urbecama 1'58"
Júnior Pimenta (CE)

...Feito poeira no vento... 3'30"
Dirceu Maués PA

A Magia do toque 4'
Júlio Riccó (SP)

quarta-feira, 29 de agosto de 2007

FIHQ-PE: incrições abertas até sábado

O período de inscrições para o 9º Festival Internacional de Humor e Quadrinhos de Pernambuco nem terminou e os números já apontam para um recorde na história do evento, que se realiza entre 16 de setembro e 07 de outubro, nas instalações da Torre Malakoff (Recife Antigo).

É o que demonstram os números parciais. De acordo com Flavão, responsável pela catalogação do material enviado para o salão, até o momento, são 320 trabalhos provenientes de 20 países: Brasil, China, Síria, Irã, Uzibesquistão, Sudão, Ucrânia, Síria, Espanha, Grécia, EUA, Turquia, Bulgária, Irlanda do Norte, Tailândia, Mongólia, França, Polônia, Rússia e Israel.

As inscrições podem ser feitas até 01 de setembro (sábado). Todas os trabalhos devem ser inscritos por email, com exceção dos pertencentes à categoria Ilustração Editorial, que também podem ser enviados via Correios. Para mais detalhes, clique aqui.

Flavão atribui a grande quantidade de inscrições à divulgação bem trabalhada nesta edição 2007, principalmente em veículos especializados em quadrinhos e artes gráficas como sites e blogs. Até o sábado, ele prevê mais de 450 inscrições, já que boa parte dos interessados acaba deixando pra fazer na última hora.

Um pouco mais sobre "Cartuns Filosóficos", de Silvino



CAPA E CONTRACAPA DE "CARTUNS FILOSÓFICOS", DE LAERTE SILVINO, COM LANÇAMENTO NESTE SÁBADO

O Quadro Mágico mostra hoje a arte de Laerte Silvino, que neste sábado (01/08) lança o seu "Cartuns Filosóficos", editado pela Livrinho de Papel Finíssimo Editora como o primeiro número da série Olho de Bolso. Será às 19h, no Bar do Biu (Rua do Sossego, 144 - Boa Vista). A publicação estará à venda no local, por R$ 5.

A série vem sendo desenvolvida há pelo menos um ano, somente com textos de Confúcio. Até então, ela estava sendo publicada num blog criado por Silvino. Segundo ele, para a publicação em papel, foram modificados ou adaptados alguns desenhos, e substituída a capa original, reproduzida abaixo.



Silvino adianta que seu projeto autoral continuará com adaptações de textos do escritor alemão Johann Wolfgang von Goethe e do filósofo grego Platão. Abaixo, um exemplo desta primeira leva baseada em Confúcio.



O segundo número da coleção Olho de Bolso terá lançamento no mesmo evento, intitulado "Encontro com o Criador". Trata-se de um apanhado do trabalho do grafiteiro Serjão, "uma forma do leitor adentrar no seu mundo gráfico, também chamado de Jaboreia. Livre, solto, leve, em contraste com a rudeza das ruas do Recife", diz o texto da editora.

terça-feira, 28 de agosto de 2007

Filmes nordestinos dominam o II Festival Macapá de Cinema e Vídeo



ÁRIDO MOVIE, DE LÍRIO FERREIRA, É UM DOS SELECIONADOS PARA A MOSTRA COMPETITIVA DO FESTIVAL

De 22 a 29 de setembro acontece o II Festival Macapá de Cinema e Vídeo, com mostra competitiva de longas e curtas metragens brasileiros, mostra macapaense de vídeo e a mostra de cinema brasileiro (no Cinema Voador, montado na praia). Completam a programação oficinas de documentário, produção e formatação de projetos.

É esmagadora a presença nordestina na programação competitiva de longas e curtas. Dos sete longas, somente Pro dia Nascer Feliz, de João Jardim vem de outra região do Brasil (sudeste, apesar de ter locações em Pernambuco). Rapsodia para um homem comum, Camilo Cavalcante e O som da luz do trovão, Petrônio Lorena, dois curtas de diretores pernambucanos, completam o cenário que confirma de que região geográfica vem a força criativa e renovadora do cinema brasileiro século 21.

A mostra competitiva de longas e curtas acontece no Teatro das Bacabeiras. Em votação direta, o público escolhe o melhor filme, melhor ator e melhor atriz.

A segunda mostra macapaense de vídeo é destinada à produção do estado do Amapá. Um júri de profissionais da cultura escolherá os três trabalhados mais representativos da produção recente do Amapá que receberão o troféu Equinócio.

O Cinema Voador, irá a diversos bairros de Macapá, para apresentar as sessões da mostra de cinema brasileiro, que exibirá filmes marcantes quando de seus respectivos lançamentos.

A curadoria das mostras do II Festival Macapá de Cinema e Vídeo (Competitiva, Filmes Brasileiros - Cinema Voador) é de Fernando Adolfo Cardoso de Andrade, profissional reconhecido por seu trabalho no Festival de Brasília do Cinema Brasileiro desde 1965, e à frente de sua realização há mais de uma década.

PROGRAMAÇÃO
Longa-metragem – Mostra Competitiva
1. Eu me lembro, Edgar Navarro
2. Ilha da Morte, Wolney Oliveira
3. Pro dia nascer feliz, João Jardim
4. Cinema, aspirinas e urubus, Marcelo Gomes
5. Árido Movie, Lírio Ferreira
6. O engenho de Zé Lins, Vladimir Carvalho
7. O Céu de Suely, Karim Aïnouz

Curta-metragem – Mostra Competitiva
1. Noite de Marionetes, Haroldo Borges
2. O canto da Ceilândia, Ardiley Queiroz
3. O dia de folga, André Carvalheira
4. A espera da morte, André Luis da Cunha
5. Rapsodia para um homem comum, Camilo Cavalcante
6. O som da luz do trovão, Petrônio Lorena
7. Bolo de Morango, Julia Jordão

segunda-feira, 27 de agosto de 2007

Recife: Livrinho de Papel Finíssimo lança dois novos títulos neste sábado (01/09)





A Livrinho de Papel Finíssimo editora apresenta dois novos projetos neste fim de semana. São revistas lançadas com festa, "2 bandas, 2 DJs, e 2 notas de 2". Na programação estão as bandas Subversivos e Le Bustier En Decadence, e os DJs Moa e Evandro Q?. Tudo acontece neste sábado (01 de setembro). O lançamento, batizado "Encontro com o Criador", está marcado para às 19h, no Bar do Biu (Rua do Sossego, 144 - Boa Vista). Já a festa, começa a partir das 22h, na sede da editora (auto-proclamada Iraq), na Rua do Sossego, 179, Boa Vista.

O primeiro projeto se chama ZI.PE, uma revista "formatinho", de 20 páginas em preto e branco, feito em parceria com a Associação dos Cartunistas Pernambucanos (Acape). Se trata de uma coletãnea de seis autores da Acape, que objetiva dar vazão a uma nova geração de quadrinhos autorais pernambucanos.

O segundo é a Coleção Olho de Bolso, cuja proposta é lançar artistas das mais diversas linguagens, e mixar o cartum, ilustração, quadrinhos, grafite e artes plásticas, em diferentes técnicas de impressão: carimbo, clichê, litogravura e digital. Estão previstos 12 títulos, de 200 exemplares cada.

Entre os artistas estão Rodrigo Braga, Maurício Castro, Galo, Greg, Moacir Lago, João Lin, Rosinha Campos, Henrique (Hke), Mascaro e Záza Zignal. Os dois primeiros trazem trabalhos de Laerte Silvino (cartuns filosóficos com textos de Confúcio) e do grafiteiro Serjão.

As revistas também terão lançamento durante o Festival Internacional de Humor e Quadrinhos - FIHQ, que inicia próximo dia 16 de setembro

"Obras Completas de Carl Barks" chega ao número 31



A Editora Abril lançou o 31º Volume das Obras Completas de Carl Barks (R$ 16,90). A revista é um caso à parte na coleção porque não há uma só história com o Tio Patinhas, o personagem predileto do lendário desenhista. Todas elas são protagonizadas por Donald e os sobrinhos.

É um volume pra prestar atenção não só pela qualidade do texto e desenhos que eternizou o trabalho de Barks, mas também por conter material inédito. Trata-se da história "A Noite das Bruxas", adaptada do script de um desenho animado. Carl Barks adicionou à trama novos elementos, só que os editores da época resolveram censurá-los, ou seja, nove páginas foram mutiladas da HQ original. Somente agora a história volta completa - "director's cut".



Outro ponto de interesse, principalmente aos brasileiros, está na história "Aventura no Vale Proibido", em que os patos embarcam para a Selva Amazônica, na única referência que Carl Barks já fez ao Brasil. Bem, não esperem muito além do clichê de país selvagem e exótico. Eles navegam rio acima no S.S. Malária, e precisam enfrentar caçadores, índios canibais e, pasmem, animais pré-históricos.

Por fim, "Vida de Pato" mostra página a página um exercício de tradução do roteiro original esboçado pelo mestre, a história publicada em 1970, e uma releitura feita pelo holandês Daan Jippes em 1998.

A revista não traz nenhuma menção ao fato, mas provavelmente este será o último volume da coleção. Isso porque ele encerra com a derradeira história criada por Barks, "Aventura em Nada em Nada", baseada em argumento seu escrito no ano 2000 (ano de sua morte), e desenhada por Pat Block.

sexta-feira, 24 de agosto de 2007

Conrad oferece preview de "Laertevisão"



A editora Cornad Livros está oferecendo a partir de hoje um preview de "Laertevisão - Coisas Que Nunca Esqueci", de Laerte Coutinho.

Entre desenhos e fotografias do tempo da infância do desenhista, há quadrinhos e tirinhas inéditas como a mostrada acima.

Para ler um trecho, basta clicar aqui.

Inscrições abertas para o I Concurso Nacional de Quadrinhos Péricles Maranhão



Está dada a largada para o Concurso Nacional de Quadrinhos Péricles Maranhão. Os 20 melhores trabalhos serão publicados em uma coletânea com tiragem de 2.000 exemplares. Podem concorrer candidatos de todo o Brasil, desde que seus trabalhos estejam em língua portuguesa.

O concurso, iniciativa da Fundação de Cultura Cidade do Recife - FCCR, em parceria com a Acape e o Centro de Design do Recife, homenageia o cartunista pernambucano Péricles (criador do personagem Amigo da Onça).

As inscrições podem ser feitas até o dia 05 de outubro. O regulamento está disponível no site da Associação dos Cartunistas Pernambucanos - Acape. Em caso de dúvida, é só mandar um email para concurso.quadrinhos@gmail.com ou telefonar para (81) 3224.5656.

De acordo com João Lin, presidente da Acape (entidade que também realiza o Festival Internacional de Humor e Quadrinhos), a coletânea terá em torno de 60 páginas, e dará preferência a trabalhos de conteúdo autoral.

“Seja através de apoio das leis de incentivo ou às próprias custas, os autores pernambucanos têm encontrado meios para divulgar a produção do humor gráfico do estado”, ressalta. Exemplos não faltam. Nos últimos dois anos, foram pubicados com patrocinio estatal os livros HQCD, de Clériston, a revista Ragú e a coleção Domínio Público , o projeto Passos Perdidos, História Desenhada (vencedor do último HQMix), Morte e Vida Severina em HQ de Miguel Falcão, além do catálogo e as Conferências de Bolso do FIHQ.

"Às próprias custas", na guerrilha da independência, além dos vários fanzines expurgados cidade afora, está a Livrinho de Papel Finíssimo Editora, que se abre para experimentações e trabalhos autorais de diferentes teores. Seu próximo projeto, em parceria com a Ragu Zine, será a coleção Olho de Bolso.

Um concurso como este, além de revelar novos talentos, é a oportunidade de reunir um panorama nacional e promover o intercâmbio entre artistas.

Devir lança "Clube da Lulu"



"Clube da Lulu" é o novo volume de histórias em quadrinhos da Luluzinha e sua turma.

As histórias deste livro foram organizadas nos EUA pela Dark Horse, editada no Brasil pela Devir Livraria, são as primeiras a ser criadas pela dupla de artistas John Stanley (roteiro e desenhos) e Irving Tripp (arte final).

Para quem está acostumado com os quadrinhos lançados no começo dos anos 80, alguns inclusive desenhados por artistas brasileiros, vai perceber que o traço das primeiras histórias é bem diferente, mais duro e econômico. Sem falar na personalidade das crianças, variante entre a inocência e a perversão.

Personagens criados por Marjorie Henderson Buell, e que marcaram várias gerações desde 1935, quando começou a ser publicada nos jornais em forma de tirinhas diárias, até 1984, quando as revistas em quadrinhos pararam de chegar às bancas do mundo inteiro.

Enquanto Buell trabalhava nas charges e tirinhas originais, as HQ's ficaram por conta da dupla Stanley / Tripp. Fizeram o que, como outros já devem ter esctrito por aí, um clássico para todas as idades.

Alunos da "Oi-Kabum!" e "Ver Para Ser" participam da I Semana de Fotografia do Recife



Um dos destaques da programação da I Semana de Fotografia do Recife serão as mostras "Sal de Prata" e "Réstias". Elas são, respectivamente, resultado do trabalho dos jovens dos projetos "Oi Kabum! Escola de Arte e Tecnologia" e do Projeto "Ver para ser".

A abertura será neste domingo, às 16h, na Oi Kabum! (Rua do Bom Jesus, 147 - Recife Antigo). A exposição ficará aberta à visitação até o dia 14 de setembro, das 14 às 18h. Para informações, basta ligar para o 3224-0281.

quinta-feira, 23 de agosto de 2007

I Semana de Fotografia do Recife



Começa neste domingo a 1a Semana de Fotografia do Recife. O evento, que inclui a II Mostra Recife de Fotografia, é uma realização da Prefeitura da Cidade do Recife por meio da Gerência de Serviços de Fotografia da Fundação de Cultura.

A abertura será às 19h, na Torre Malakoff (Recife Antigo), com exposição e lançamento do livro "Linguagens" e exibição da II Mostra Recife de Fotografia.

De acordo com o texto de divulgação, o objetivo é reunir "fotógrafos profissionais, amadores, artistas visuais, referências do cenário local e nacional, além do público em geral, para vivenciar a pluralidade de olhares a partir do fazer fotográfico".

Em seu primeiro ano, o evento também pretende discutir e refletir sobre os rumos da fotografia contemporânea, com destaque para o aspecto da linguagem fotográfica
como ferramenta para educação e arte na perspectiva de inclusão social.

A programação consiste de exposições, oficinas, debates, lançamentos de livros, mostras de fotografia, leituras de portfólio e palestras. As atividades serão descentralizadas e abertas ao grande público.

No Cinema da Fundação (Fundaj / Derby), por exemplo, serão exibidos trabalhos selecionados pela mostra antes das sessões dos dias 26 de agosto (domingo) e 01 de setembro (sábado).

As demais exibições serão realizadas nos seguintes locais:
26/08 – 19h00 - Torre Malakoff (Recife Antigo)
27/08 – 18h00 - Pátio de São Pedro (São José)
28/08 – 18h00 - Comunidade do Pilar – (Recife Antigo)
29/08 – 17h30 - Estação Central do Metrô (São José)
30/08 – 18h00 - Hospital Ulysses Pernambucano (Tamarineira)
31/08 – 19h00 - UR7 (Várzea)
01/09 – 18h00 - Pátio de São Pedro (São José)

As palestras terão como tema "O mundo digital" pelo paulista Thales Trigo (Teatro Hermilo Borba Filho, dia 27 às 19h); "Tecnologia do Séc XIX a partir do acervo de Murillo La Greca", pela pernambucana Camila Targino (Museu Murillo La Greca, dia 28 às 14h); "O atual momento do fotojornalismo contemporâneo" pelo paulista Eder Chiodetto (Teatro Hermilo Borba Filho, dia 28 às 19h); e "Processos curatoriais na fotografia contemporânea em espaços públicos", pelo paulista Diognes Moura (Teatro Hermilo Borba Filho, dia 29 às 19h).

Para conhecer a programação completa clique aqui.,

Mais informações: (81) 3232.1409 ou semanadefotografia@gmail.com

Conrad lança em setembro "Laertevisão - Coisas Que Não Esqueci"



Em setembro tem mais Laerte na área. Diferente da antologia noticiada no post abaixo, "Laertevisão - Coisas Que Não Esqueci", trata-se de material inédito de Laerte Coutinho, baseado nas memórias de infância do cartunista nascido em São Paulo, no ano de 1951.

No começo, era uma TV preto-e-branco valvulada e meia dúzia de programas: Rin Tin Tin, Aventura Submarina, Lassie - e a Copa do Mundo de 1966. Tempo de guerra de mamona e bola de gude. Uma infância evocada com fotografias, desenhos e recortes de revistas, dispostos lado a lado com tirinhas novas, se bem que no clima de "túnel do tempo".

"Laertevisão - Coisas Que Não Esqueci" será lançado em 5 de setembro, e está em pré-venda no site da Conrad por R$ 46 (frete grátis).

terça-feira, 21 de agosto de 2007

"Piratas do Tietê" em edição definitiva



FEIOS, SUJOS E MALVADOS: OS PIRATAS VOLTAM EM GRANDE ESTILO

Os Piratas do Tietê estão de volta, em antologia de luxo produzida pela joint venture das editoras Devir Livraria e Jacarandá. A trupe alucinada respondem pelos personagens mais populares do paulista Laerte Coutinho, um dos melhores desenhistas e roteiristas de humor do Brasil. Se é que existe receita em seu trabalho, ela está em juntar elementos (personagens ou situações) absurdos num pano de fundo que retrata a realidade cotidiana de São Paulo, o que resulta em pérolas do nonsense gráfico.

"Piratas do Tietê - a saga completa" (R$ 52), chega às lojas em três volumes capa dura. A edição e projeto gráfico é de Toninho Mendes, também responsável pela reedição da Antologia Chiclete Com Banana.



O lançamento em São Paulo está marcado para 31 de agosto, sexta-feira, às 18h30, na Livraria Cultura (Conjunto Nacional - Av Paulista, 2073). Desde o começo da semana, a Devir mantém em seu site um preview da obra.

O primeiro volume consiste de sete histórias publicadas originalmente nas revistas Chiclete Com Banana, Circo e Piratas do Tietê, que tiveram um título próprio no início dos anos 90 (14 edições, e mais de 150 mil exemplares vendidos). Duas bônus-track acrescentam brilho ao livro: o storyboard para o desenho animado dos Piratas, e um perfil de Laerte, escrito por Marcelo Alencar.

Os próximos volumes trazem como extra o texto integral da peça "Piratas do Tietê, o filme" e um pôster colorido dos personagens.



PIRATAS DO TIETÊ: A SAGA COMPLETA - VOLUME 1
Formato: 21,0cm × 28,0cm
Estrutura: 112 páginas coloridas + PB em papel off-set 120g
História e Arte: Laerte
Preço: R$ 52

segunda-feira, 20 de agosto de 2007

I FESTIVAL NACIONAL DE MAKING OF (RECIFE) - PROGRAMAÇÃO



WATER CARVALHO NO SET DE "BAIXIO DAS BESTAS" (2006)

O I Festival Nacional de Making Of será de 27 a 29 de agosto, no Cine-Teatro Apolo-Hermilo. O evento promete: terá a presença de Jorge Furtado, João Falcão, Cláudio Assis, Kiko Goifman, Hermila Guedes, entre outros nomes da cadeia produtiva do audiovisual brasileiro.

Há um website no ar, divulgando a programação de palestras, oficinas e exibições de 16 making of's de curtas e longas nacionais, distribuídos em três dias.

Nos últimos anos, este produto essencialmente metalinguístico vem ganhando mais importância. Em alguns festivais de cinema há eventos dedicados exclusivamente a eles.

"Making of", anglicismo para "como foi feito", é como se chama o filme que revela os bastidores de produções cinematográficas ou televisivas.

O I Festival Nacional de Making Of será gratuito e aberto ao público. O Cinema Apolo fica na Rua do Apolo, 121 (Bairro do Recife – Recife–PE).

PROGAMAÇÃO

Segunda-feira dia 27/08/07
15h - Making Of dos filmes: 81 min (2h e 21 min)
Durval Discos (25min)
Caramuru: A invenção do Brasil (26 min)
Rapsódia Para Um Homem Comum (15 min)
Entre Paredes (15 min)
Lavoura Arcaica (60 min)

19h - Making Of dos filmes: 61 min (1h e 1min)
O Auto da Compadecida (18 min)
Fica Comigo Esta Noite – (11 min)
A Máquina – (32 min)
Debate com João Falcão, Flávia Lacerda e Lia Renha

Terça- feira dia 28/08/07
15h - Making Of dos filmes: 154min ( 2h e 34 min)
Eu Fiz Querô (52 min)
O Invasor (24min)
Zuzu Angel (28 min)
Cão Sem Dono ( 18min)
O Primo Basílio (32min)

19h - Making Of dos filmes: 75min (1h e 15min)
Amarelo Manga (19 min)
Cinema, Aspirinas e Urubus (26min)
O Céu de Suely (30 min)
Debate com Cláudio Assis, João Júnior, Hermila Guedes e Kiko Goifman

Quarta-feira dia 29/08/07
15h - Making Of dos filmes: 118min (1h e 58min)
500 anos ( 25 min)
O Santo Por Acaso (25min)
Mothern (25 min)
Hoje é dia de Maria (43 min)
Debate com Luca Paiva, Léo Falcão e Luiz Felipe Botelho

19h - Making Of dos filmes: 65 min (1h e 5min)
O Ano em que meus pais saíram de férias (27 min)
O Homem que Copiava (18min)
Saneamento Básico (20min)
Debate com Jorge Furtado e Nora Goulart.

sexta-feira, 17 de agosto de 2007

"O Beijo no Asfalto" em quadrinhos: entrevista com Arnaldo Branco



"Tá lá o corpo estendido no chão", assim como diz João Bosco, na música "De frente pro crime". Atropelado no cruzamento da Praça da Bandeira, Rio de Janeiro. Arandir, um dos curiosos, se aproxima do moribundo. Este lhe pede um beijo derradeiro. Arandir atende o último desejo do homem.

Escrita por Nelson Rodrigues em 1961, após insistência de Fernanda Montenegro (que queria uma peça para seu grupo teatral), "O Beijo no Asfalto" acaba de ganhar uma ótima versão em quadrinhos. Os artistas Arnaldo Branco e Gabriel Góes assinam a recriação, a convite da editora Nova Fronteira.

Esta narrativa tipicamente Rodrigueana parte do fatídico beijo, percebido por um repórter do jornal "A Última Hora". Na busca de audiência, ele tratou de resenhar o ocorrido em tom de novela: havia um caso entre eles há mais de um ano, as esposas traídas nunca perceberam, a sociedade indignada com tudo – e lendo jornal. E a viúva, o que tem a dizer? Fofocas e olhares maldosos correm soltos, neste retrato trágico dos costumes e vícios sociais.



A adaptação é de primeira. Capta o clima do texto original com equilíbrio texto-imagem; a arte de Gabriel Góes (que já havia adaptado literatura em quadrinhos no volume 2 de “Domínio Público”) instiga de tal forma que os olhos só desgrudam do papel quando o livro chega ao fim.

O Quadro Mágico conversou por email com Arnaldo Branco, que adaptou o texto original de "O Beijo no Asfalto" para a linguagem dos quadrinhos.

Entre outros trabalhos, Arnaldo Branco assina a tira "Joe Pimp" e a seção de humor "O Sexysta" para a revista Sexy; a tira "Mundinho Animal", no portal da Globo, o G1; é colunista da revista Zé Pereira (RJ); e tem três propostas de livro em andamento: um de cartuns do Joe Pimp, outro da tira "Entrevistas em quadrinhos", que saía na revista “F.” e, o segundo episódio de seu maior sucesso, "As Aventuras do Capitão Presença”.

ENTREVISTA ARNALDO BRANCO // Beijo no Asfalto: "Respeitamos até quase a obsessão o texto original"

Como foi o processo de transformação do texto de Rodrigues para os quadrinhos?
Como adaptamos um texto de teatro - que é mesmo uma obra em aberto, esperando uma interpretação, achamos totalmente natural o processo. "O Beijo no Asfalto" já teve adaptações para outros meios que não o teatro - para o cinema, para a TV - e quadrinhos é só uma forma de transcrição para outro meio audiovisual - um meio menos cotado, é verdade, mas nem por isso necessariamente de menor valor artístico. Soube de uma montagem teatral de "O Beijo" com a Fernanda Rodrigues interpretando a Dália - aposto contigo que o bonequinho desenhado pelo Gabriel para o personagem é mais expressivo.

É o teu primeiro trabalho nesse sentido?
Nesse sentido (texto de outro autor, peça de teatro, cânone da literatura brasileira) é o primeiro.

Foi um trabalho de iniciativa própria ou você foi convidado para fazê-lo?
Fui convidado pela Nova Fronteira - não sei como chegaram ao meu nome, mas acertaram em cheio: li tudo o que publicaram em livro do Nelson, peças, romances - assinados ou sob pseudônimos - , crônicas... minha monografia foi sobre ele.

O filme te influenciou de alguma forma?
"O Beijo no Asfalto" teve duas adaptações para o cinema: uma do Tambellini de 66, "O Beijo" e outra de 81, creio, com o Tarcísio Meira e Nei Latorraca. Bem, as duas são um tanto irregulares, mas o Gabriel curtiu fazer o Dália tão mignon que parece uma criança, provavelmente inspirado pela Lídia Brondi no filme de 81. A fotografia do filme de 66 é impressionante, mas não consegui uma cópia para mostrar para o Gabriel.

Qual tem sido a reação dos leitores?
Muito boa. Acho sensacional quando me dizem que adoraram a história - pessoas que não conheciam o texto se sentem como se tivessem assistido a uma montagem (uma boa, espero); todos se sentem conduzidos pela trama até o final surpreendente bolado pelo Nelson. Isso é gratificante, porque respeitamos até quase a obsessão o texto original, só aparando mínimas arestas de diálogo que não levavam a história para frente, que funcionam bem no palco, mas não em HQ. Segui o conselho que dava para os diretores de suas peças: "seja burro!". Inventei o mínimo possível.

Cineclube da Galeria Artes e Cores: programação das próximas semanas



CENA DE "O GRANDE LEBOWSKY", DE JOEL E ETHAN COEN

Andree Röttig informa a programação de filmes na Galeria Artes e Cores, cineclube que funciona na cidade alta de Olinda, todas as quartas e sextas, às 20h, na Rua do Amparo, 319. Informações pelos telefones (81)3429-4059 e (81) 9606-5708. A entrada é franca.

Sexta-feira (hoje), 17 de agosto: "O Cozinheiro, o Ladrão, Sua Mulher e o Amante" (The Cook, the thief, his wife and her lover).
http://petergreenaway.co.uk/ctwl.htm
http://www.imdb.com/title/tt0097108/
http://en.wikipedia.org/wiki/The_Cook,_the_Thief,_His_Wife_&_Her_Lover

Quarta-feira, 22 de agosto: "O grande Lebowski" (The Big Lebowski)
http://www.imdb.com/title/tt0118715/
http://en.wikipedia.org/wiki/The_Big_Lebowski

Sexta-feira, 29 de ago: "O Pianista", (The Pianist)
http://www.imdb.com/title/tt0253474/

Quarta-feira, 5 de setembro: um filme de Ingmar Bergman, ainda a ser determinado.

Quarta-feira, 12 de setembro: "Twin Peaks - Os últimos dias de Laura Palmer"
http://www.imdb.com/title/tt0105665/
http://en.wikipedia.org/wiki/Fire_Walk_With_Me

quarta-feira, 15 de agosto de 2007

CINEMA da FUNDAÇÃO - programação da semana



CENA DE "OPENING NIGHT", DE JOHN CASSAVETTES

CINEMA da FUNDAÇÃO (Recife)
Rua: Henrique Dias, 609, Derby
cinema@fundaj.gov.br
Ingressos: R$ 6,00 (inteira) – R$ 3,00 - (acima de 60 anos/estudantes)

O Cinema da Fundação estará fechado nesta Sexta, Sábado e Domingo.

O motivo é um trabalho de manutenção que será realizado no prédio da Fundação Joaquim Nabuco. As projeções serão retomadas na terça-feira, dia 21 de agosto.

Pré-Estréia

OPENING NIGHT/”Noite de Estréia”(1978, EUA). Um flme de John Cassavetes. Gena Rowlands, Ben Gazarra, John Cassavetes. Depois de “Uma Mulher Sob Influência”, este é o segundo título de John Cassavetes trazido para o Cinema da Fundação no relançamento da sua obra. “Noite de Estréia” é mais um exemplar instigante da força de Cassavetes e um dos filmes preferidos de Pedro Alomodóvar, por ele homenageado em “Tudo Sobre Minha Mãe” (1999). Numa noite chuvosa, na saída dos bastidores, Myrtle (Rowlands), atriz e estrela do teatro, vê um retrato de quem ela foi numa jovem fã à procura de um autógrafo seu. Ela encara seu primeiro papel de mulher mais velha e a possibilidade de sucesso pode significar que Myrtle está envelhecendo, perdendo a beleza que sempre teve. Uma reflexão sobre o envelhecimento e sobre ser bela, “Noite de Estréia” também revela-se um filme fascinante sobre o palco e o teatro visto pelo cinema pessoal de Cassavetes. Filmes do Estação / Mono / Tela Plana / 12 anos / 140 mins

Quarta, dia 22, às 20h

3a. Semana
FORA DO JOGO. (Offside, Irã, 2006). De Jafar Panahi. Com Sima Mobarak Shahi, Safar Samandr e Shayesteh Irani. Depois das exibições na programação especial do Cinema da Fundação no Festival de Inverno de Garanhuns, estréia no Recife Fora do Jogo. O diretor iraniano Jafar Panahi aborda um grupo de garotas que fazem de tudo para entrar no Azadi Stadium, em Teerã, para assistir a uma partida das eliminatórias da Copa do Mundo. No Irã, as mulheres são proibidas de freqüentar estádios. Um grupo de seis garotas, fanáticas por futebol, se disfarça e tenta driblar os seguranças para conquistar um lugar nas arquibancadas. Panahi dirigiu O Espelho (1997) e O Círculo (2000), ambos exibidos no Cinema da Fundação, e seus filmes geralmente são proibidos no seu próprio país (Fora do Jogo foi oficialmente banido). Os atores são todos amadores e o futebol é apenas um bilhete de entrada para o principal assunto tratado, a intolerância e a falta de liberdade. Vencedor do Urso de Prata - Festival de Berlim 2006. Pandora / 88 min / Dolby SR / Livre / Inédito.

Horários:
Terça – 16h10 – 20h45
Qua – 15h30
Qui - 16h10 – 18h

5ª e última semana

Uma Mulher Sob Influência(A Woman Under The Influence, EUA, 1974). De John Cassavetes. Com Peter Falk, Gena Rowlands, Matthew Cassel, Katherine Cassavetes, Lady Rowlands, Fred Draper. A distribuidora Estação está disponibilizando cópias restauradas de clássicos do mestre nova-iorquino John Cassavetes (1929-1989). Com uma vasta filmografia de difícil acesso no Brasil (seus filmes não foram lançados em DVD), o Cinema da Fundação traz ao Recife o primeiro de alguns que mostram a verve visceral do diretor e sua vocação para os temas urgentes da vida. Em “Uma Mulher sob Influência” Peter Falk é Nick, um trabalhador sobrecarregado e melancólico que tenta lidar com a instabilidade mental de sua esposa Mabel (Gena Rowlands). Ele luta para manter as aparências da normalidade em oposição ao comportamento desregrado de sua esposa. Mas Nick precisa agir quando os atos dela começam a afetar seus filhos. Indicado para o Oscar 75 de melhor direção e atriz (Rowlands). Globo de Ouro 75 de Melhor Atriz Drama para Rowlands. 155min. / Filmes do Estação / Mono / Tela Plana / Livre.

Horários:Ter– 18h
Qua – 17h15
Qui – 19h45

Cine Royal (São Lourenço da Mata) - programação da semana

Programação Cine Royal de 17/8 a 23/8.

Ratatouille(Ra-ta-tui)
16:30 - 18:30

Transformers (DUBLADO)
Sessão as 20:00

Promoções: Terça e Quarta Maluca: R$ 2,50 (meia entrada para Todos).
Seg, qui,sex, sáb e dom R$ 4,00 (Meia entrada para todos)

sábado, 11 de agosto de 2007

"Estórias Gerais": entrevista com Wellington Srbek



Lembro bem de quando encontrei Wellington Srbek pela primeira vez. Foi em abril de 1998, durante o congresso do Intercom no Recife. Por coincidência, foi minha primeira cobertura jornalística - eu era um calouro de jornalismo, trabalhando para o projeto Virtus.

Não por coincidência, escolhi cobrir o GT de Quadrinhos, coordenado por Flávio Calazans. Na época, Srbek editava sua série de revistas em quadrinhos “Caliban”, e falou com paixão sobre seu novo projeto, inspirado no universo de João Guimarães Rosa e desenhado por Flávio Colin (1930-2002). Referências como essas eu tratei de guardar na hora.

Três anos depois o livro foi lançado, através de recursos da Lei de Incentivo à Cultura de Belo Horizonte. Como a tiragem foi pequena (apenas mil exemplares a R$ 7,90 cada), a edição esgotou rapidinho.

Eis que, quase 10 anos depois, “Estórias Gerais” está de volta, em edição especial (como diz o próprio Srbek), editada e distribuída nacionalmente pela Conrad Livros. Desde ontem, a editora colocou no ar alguns trechos da HQ.

Dividido em seis partes que se entrecruzam, o livro conta a história de um jornalista que chega a uma cidade fictícia no norte de Minas para apurar a história de um cangaceiro que aterroriza a região. Tudo isso se passa no começo do século 20.

Depois de receber dois HQ MIX e dois Troféus Angelo Agostini, "Estórias Gerais" foi publicada na Espanha pela editora Editions du Ponent sob o título "Tierra de Historias" (em julho de 2006).

Em virtude do relançamento no Brasil, previsto para este mês de agosto, o Quadro Mágico bateu um papo com Wellington Srbek, onde ele fala um pouco sobre este projeto em que ele é idealizador e roteirista, e sobre a experiência de ter trabalhado com Flávio Colin (ele acaba de publicar um texto sobre os cinco anos da morte do artista. Para ler, clique aqui). Wellington Srbek também é editor do site Mais Quadrinhos, e atualmente trabalha no álbum “SOLAR: Renascimento”, que reformula um personagem criado por ele nos anos 90.

ENTREVISTA: WELLINGTON SRBEK // "Para um quadrinista brasileiro, é mais fácil publicar por uma editora na Europa do que no Brasil"

A Conrad apresenta “Estórias Gerais” através de suas palavras: "um manifesto político-cultural em forma de declaração de amor ao Brasil". De que forma isso se expressa no roteiro/desenhos?

Na verdade, este trecho foi extraído de minha introdução à primeira edição, que será reproduzida na “Edição Especial” da Conrad. Acredito que essa afirmação se confirme desde a primeira página da HQ, onde elementos culturais, ambientais e históricos de nosso país são valorizados e homenageados constantemente. É aquela questão: ao invés de fazermos uma HQ com super-heróis norte-americanos ou monstrinhos japoneses, optamos por fazer uma obra profundamente brasileira, do primeiro ao último quadro.

Qual é a história por trás da história? Como se deu o processo de criação?
A história é bem longa, e vou contá-la em detalhe numa seção especial de Extras para o meu site. Resumindo bastante, em dezembro de 1997 eu tive a idéia para produzir uma HQ ambientada no sertão mineiro da década de 20. Após muita pesquisa contextual, fiz o esboço dos principais personagens e comecei a desenhar as páginas do roteiro. Na época, pude fazer uma boa proposta financeira para que o mestre Flavio Colin desenhasse o álbum para mim, e entre janeiro e setembro de 1998 nós nos dedicamos a dar forma a "Estórias Gerais".

Como foi trabalhar com Flavio Colin? Foi sua primeira experiência com ele?
Sim, “Estórias Gerais” foi nossa primeira parceria, seguida do álbum “Fantasmagoriana” e de HQs curtas que saíram nas revistas Mirabilia e Mystérion. Trabalhar com Colin foi uma realização pessoal, pois ele é um dos maiores artistas da história dos quadrinhos mundiais. Foi também muito prazeroso, pois, embora não tenhamos jamais nos encontrado pessoalmente, trocamos muitas cartas e telefonemas, e ele era um ótimo papo.

Nesse meio tempo entre a primeira e a atual edição, “Estórias Gerais” ganhou bastante respeito dentro e fora do universo dos quadrinhos nacionais. A que você atribui esse interesse?

O álbum ganhou alguns dos principais prêmios nacionais em 2002 e uma edição na Europa em 2006, o que contribuiu para sua notoriedade. Além disso, o “Estórias Gerais” foi considerado pela crítica especializada um dos melhores álbuns de quadrinhos já feitos no Brasil. O fato é que a ótima resposta dos primeiros leitores teve um importante papel em trazer mais leitores. Muita gente me diz que emprestou o álbum para amigos lerem, o que é muito legal, pois mostra que a obra cumpriu sua razão de ser, que é chegar aos leitores.

Esta é sua estréia numa editora comercial com distribuição nacional, e isso está acontecendo depois de 20 anos de carreira. E quase 10 anos de “Estórias Gerais”, que teve primeiro que ser reconhecido na Europa para ser editado no Brasil. Porque parece ser tão difícil fazer quadrinhos no Brasil?

Fiz minha primeira HQ em 1986, editei meu primeiro fanzine em 1993 e lancei minha primeira revista em 1996. Como disse antes, o Estórias Gerais foi produzido em 1998, mas só saiu da gaveta numa edição independente em 2001. Já ganhei vários prêmios nacionais e lancei um álbum na Espanha. Em meio a isso tudo, venho tentando persistentemente, desde 1999, lançar algum trabalho por uma editora brasileira. Mas até aqui, nenhum editor tinha se interessado por meus quadrinhos. O fato é que, para um quadrinista brasileiro, é mais fácil publicar por uma editora na Europa do que no Brasil. Vergonhosamente, apesar dos inúmeros talentos de nossos quadrinhos, não existe no Brasil um mercado voltado aos autores brasileiros.

quarta-feira, 8 de agosto de 2007

Devir e Sampa lançam Antologia Chiclete com Banana - Volume 2



Meu verdadeiro curso de educação moral e cívica (sim, eu sou desse tempo) foi a revista Chiclete Com Banana. Me lembro bem da sensação que foi abrir a revista pela primeira vez. Era a de número 3 (1985), com o personagem Walter Ego na capa.

Logo de cara sabia que aquilo era um negócio sujo, proibido para um menino de 12 anos de criação católica como eu. Olhei pra um lado, olhei pro outro... achei mais seguro ler trancado no banheiro.

Nunca mais perdi um número, e ficou bem mais fácil aguentar a chatice que foi crescer numa cidade do interior paranaense.

Desde junho, uma parceria entre a Devir Livraria e a editora Sampa está reeditando esse material hoje considerado um clássico do underground nacional. O segundo de 16 fascículos coloca a maníaca Mara Tara na capa novamente.

Por enquanto, a revista está apenas nas bancas de São Paulo. Em outros estados, a compra pode ser feita direto no site da Devir.

Abaixo, alguns aperitivos.







Fortaleza: nasce o Cine Sinistro



Bastidores de "Frankenstein"(1931), de James Whale

Cine Sinistro é um cineclube itinerante de Fortaleza que estreou hoje, na Praça Otávio Bonfim. a proposta é exibir filmes de curta e longa metragem, além da apresentação de performances e intervenções musicais. Na noite de estréia, foi exibido o filme "Frankenstein"(1931), de James Whale e, paralelamente, o longa de animação "A festa do monstro maluco", dedicada ao público infantil.

Um pouco antes, houve uma sessão de filmes curta-metragem silenciosos, com performances ao vivo do guitarrista Edson Van Gogh e convidados.

O Cine Sinistro é um cineclube itinerante que tem como tema filmes de terror e faz parte do Projeto Pontos de Corte, realizado pela Fundação de Cultura, Esporte e Turismo, através da Escola de Audiovisual de Fortaleza, em parceria com as Secretarias Regionais da Prefeitura de Fortaleza e o programa BNB de Cultura. O Projeto Pontos de Corte tem como objetivo a formação de exibidores independentes, aptos a organizar mostras de filmes, cineclubes, seminários, debates e afins.

Para saber mais sobre as próximas sessões, procure Alex Oliveira (8816-3479) e Henrique Dídimo (3281-5500).

Programação Cine Royal (São Lourenço da Mata) - semana de 10/8 a 16/8

Transformers (Dublado)
Sessão as 16:30 - 20:00

Promoções: Terça e Quarta Maluca: R$ 2,50 (meia entrada para Todos). Seg, qui,sex, sáb e dom R$ 4,00 (Meia entrada para todos)

Programação Cine Eldorado 1 e 2 (Garanhuns) - semana de 10/8 a 16/8/7



Sala 1 - Ratatouille(2a. semana) (Dublado)
16:30 - 18:40 - 20:40
Class. Ind. livre

SALA 2 - TRANSFORMERS (4a. semana)
15:00 - 18:20 - 21:00
Class.Ind. 10 Anos

Promoções: Terça e Quarta Maluca: R$ 5,00(meia entrada para Todos) Exceto feriado.
Seg, qui,sex, sáb e dom E FERIADOS R$ 10,00 e R$ 5,00 (Meia entrada).
Mais informações:
www.cineeldorado.com.br e www.moviemax.com.br

Cinema da Fundação - programação da semana

Programação de 10 a 16 de Agosto de 2007

Fora do Jogo” (2a. Semana)+“Fabricando Tom Zé” (3a. e última semana)+
Uma Mulher Sob Influência”+“Minha Viagem à Itália” (2001), de Martin Scorsese, ganha 2a. sessão.

Pré-Estréia - Domingo, às 18h
OPENING NIGHT/”Noite de Estréia” (1978, EUA). Filme de John Cassavetes. Gena Rowlands, Ben Gazarra, John Cassavetes. Depois de “Uma Mulher Sob Influência”, este é o segundo título de John Cassavetes trazido para o Cinema da Fundação no relançamento da sua obra. “Noite de Estréia” é mais um exemplar instigante da força de Cassavetes e um dos filmes preferidos de Pedro Alomodóvar, por ele homenageado em “Tudo Sobre Minha Mãe” (1999). Numa noite chuvosa, na saída dos bastidores, Myrtle (Rowlands), atriz e estrela do teatro, vê um retrato de quem ela foi numa jovem fã à procura de um autógrafo seu. Ela encara seu primeiro papel de mulher mais velha e a possibilidade de sucesso pode significar que Myrtle está envelhecendo, perdendo a beleza que sempre teve. Uma reflexão sobre o envelhecimento e sobre ser bela, “Noite de Estréia” também revela-se um filme fascinante sobre o palco e o teatro visto pelo cinema pessoal de Cassavetes. Filmes do Estação / Mono / Tela Plana / 12 anos / 140 mins

2a. Semana
FORA DO JOGO (Offside, Irã, 2006). De Jafar Panahi. Com Sima Mobarak Shahi, Safar Samandar e Shayesteh Irani. Depois das exibições na programação especial do Cinema da Fundação no Festival de Inverno de Garanhuns, estréia no Recife Fora do Jogo. O diretor iraniano Jafar Panahi aborda um grupo de garotas que fazem de tudo para entrar no Azadi Stadium, em Teerã, para assistir a uma partida das eliminatórias da Copa do Mundo. No Irã, as mulheres são proibidas de freqüentar estádios. Um grupo de seis garotas, fanáticas por futebol, se disfarça e tenta driblar os seguranças para conquistar um lugar nas arquibancadas. Panahi dirigiu O Espelho (1997) e O Círculo (2000), ambos exibidos no Cinema da Fundação, e seus filmes geralmente são proibidos no seu próprio país (Fora do Jogo foi oficialmente banido). Os atores são todos amadores e o futebol é apenas um bilhete de entrada para o principal assunto tratado, a intolerância e a falta de liberdade. Vencedor do Urso de Prata - Festival de Berlim 2006. Pandora / 88 min / Dolby SR / Livre / Inédito

Horários:
Sexta: 17h10 / 19h / 20h45
Sábado: 19h / 20h40
Domingo – 16h30
Terça – 19h
Qua – 19h
Qui-19h


Sessão Especial Sábado, 14h30
ENTRADA FRANCA
Minha Viagem à Itália. Filme de Martin Scorsese. O Cinema da Fundação oferece mais uma oportunidade de ver a apaixonada declaração de amor ao cinema de Martin Scorsese num maravilhoso curso intensivo sobre o cinema italiano que tanto o influenciou. Com imagens e interpretações pessoais dos grandes mestres Vittorio de Sica, Roberto Rossellini, Federico Fellini, Luchino Visconti e Michelangelo Antonioni, cada um deles ganhando uma aula concisa. Scorsese lembra com especial paixão de O Eclipse (1962), de Antonioni, como “a obra que mais abriu minha cabeça para as possibilidades da linguagem cinematográfica”. Por causa da longa duração desta experiência rara, teremos intervalo de 15 minutos durante a projeção. Seleção Cannes 2001. Tela Plana / Mono / 12 anos / 240 mins.
________________________________________________

3a. Semana
FABRICANDO TOM ZÉ. De Décio Matos Jr. Com depoimentos de Tom Zé, Gilberto Gil, Caetano Veloso, David Byrne, Neusa Martins e outros. O documentário retrata a vida e obra de um dos mais controversos Tropicalistas, Tom Zé, 70 anos, cuja turnê pela Europa em 2005 é aqui o fio condutor. O filme mistura diferentes formatos de vídeo, película e animação para apresentar uma detalhada visão do universo musical de Tom Zé, para o qual um baixo e um esmeril têm a mesma importância melódica. Em entrevistas intimistas, ele narra diversas fases de sua vida e conta como começou sua carreira na década de 60, o ostracismo nos anos 70 e seu ressurgimento no início anos 90. http://www.fabricandotomze.com.br . Estação / Dolby SR / Inédito / Livre / 89 min.

Horários:
Domingo - 20h40
Ter – 20h45
Qua – 20h45
Qui – 20h45

4ª semana – Últimas Sessões
Uma Mulher Sob Influência (A Woman Under The Influence, EUA, 1974). De John Cassavetes. Com Peter Falk, Gena Rowlands, Matthew Cassel, Katherine Cassavetes, Lady Rowlands, Fred Draper. A distribuidora Estação está disponibilizando cópias restauradas de clássicos do mestre nova-iorquino John Cassavetes (1929-1989). Com uma vasta filmografia de difícil acesso no Brasil (seus filmes não foram lançados em DVD), o Cinema da Fundação traz ao Recife o primeiro de alguns que mostram a verve visceral do diretor e sua vocação para os temas urgentes da vida. Em “Uma Mulher sob Influência” Peter Falk é Nick, um trabalhador sobrecarregado e melancólico que tenta lidar com a instabilidade mental de sua esposa Mabel (Gena Rowlands). Ele luta para manter as aparências da normalidade em oposição ao comportamento desregrado de sua esposa. Mas Nick precisa agir quando os atos dela começam a afetar seus filhos. Indicado para o Oscar 75 de melhor direção e atriz (Rowlands). Globo de Ouro 75 de Melhor Atriz Drama para Rowlands. 155min. / Filmes do Estação / Mono / Tela Plana / Livre

Horários:Ter– 16h20
Qua – 16h20
Qui – 16h20

terça-feira, 7 de agosto de 2007

"Sombras de Goya", de Milos Forman, na revista Continente Multicultural deste mês



Demorou, mas o último filme de Milos Forman, "Sombras de Goya" (Goya's ghosts, 2006) estréia no Brasil no próximo 07 de setembro. No elenco, Natalie Portman, Javier Bardem, Randy Quaid e o sueco Stellan Skarsgård, no papel do pintor aragonês.

No filme, Goya não é o personagem principal. Ele serve de elo em comum entre o monge Lorenzo (Berdem) e a sofrida Inês Bilbatua (Portman), os verdadeiros protagonistas. Ou fantasmas, segundo sugere o roteiro do mítico Jean-Claude Carrière, famoso pelas parceirias com Luís Buñuel nos anos 60-70.

Através dos olhos de Goya desfilam as mudanças políticas que geraram tenta guerra na Espanha do início do século 19, um verdadeiro banho de sangue retratado em tantas telas e gravuras do artista.

Escrevi uma matéria sobre o assunto na revista Continente Multicultural deste mês. Para ler parte dela (inteira, só na edição impressa), clique aqui.

"O Cheiro do Ralo" reestréia no Cinema do Parque (Recife)



Um ralo, um olho, uma bunda. Está de volta ao Recife o fabuloso ensaio de humor negro "Cheiro do Ralo", de Heitor Dhalia ("Nina"). Ele entra em cartaz hoje, no Cinema do Parque (Rua do Hospício, 81, Boa Vista), a única sala brasileira com o incrível ingresso de R$ 1.

O filme conta a história de Lourenço (Selton Mello), o dono de uma loja de objetos usados. Ranzinza e solitário, ele busca prazer em humilhar as pessoas desesperadas que querem vender seus pertences. E isso inclui a sórdida nudez de algumas mulheres.

"O Cheiro do Ralo" é baseado no livro homônimo de Lourenço Mutarelli, que participa da produção interpretando o segurança da decadente loja de usados. Autor conhecido no mundo dos quadrinhos, Mutarelli também escreveu "Jesus Kid", lançado em 2005 pela Devir Livraria.

"Estórias Gerais", de Srbek e Flávio Colin, em pré-venda no site da Conrad



A Conrad Livros se prepara para lançar "Estórias Gerais", de Wellington Srbek e Flávio Colin. Este é um dos últimos trabalhos do mestre Colin, falecido em 2002, um ano depois de ter concluído a obra.

Lançada de forma independente em 2001 (com apoio da Lei de Incentivo à Cultura de Belo Horizonte), a primeira edição de "Estórias Gerais" se esgotou, e rapidamente virou lenda entre os amantes dos quadrinhos brasileiros.

Dividido em seis partes que se entrecruzam, o livro conta a história de um jornalista que chega a uma cidade fictícia no norte de Minas para apurar a história de um cangaceiro que aterroriza a região. Tudo isso se passa no começo do século 20, o que aproxima mais ainda o trabalho da dupla do universo literário de Guimarães Rosa.

Depois de receber dois HQ MIX e dois Troféus Angelo Agostini, "Estórias Gerais" foi publicada na Espanha pela editora Editions du Ponent sob o título "Tierra de Historias" (em julho de 2006).

De acordo com a editora Conrad, que colocou o livro em pré-venda (R$ 24) desde a última sexta-feira, "Estórias Gerais" é um dos mais importantes álbuns brasileiros de quadrinhos desta década. (com informações do release).

Wellington Sberk é historiador formado pela UFMG e roteirista de quadrinhos. Desde meados dos anos 90, vem editando revistas, fanzines e escrevendo livros sobre teoria e história dos quadrinhos.

Flávio Colin (1930-2002) começou a publicar em 1956, pela Rio Gráfica Editora. Durante os anos 60, ao mesmo tempo em que fez HQs de terror e participou da Cooperativa Editora e de Trabalho de Porto Alegre, na busca de fortalecer a produção nacional. Em 1964, criou o personagem Sepé, um índio que viveu no tempo das missões.

Foi o primeiro de seus projetos voltados para o folclore e história nacional, como "A Guerra dos Farrapos" e a "História de Curitiba". Seu último trabalho, "O Curupira", foi publicado em outubro do ano passado pela Pixel Media.

segunda-feira, 6 de agosto de 2007

I Jornada de Cinema Silencioso (SP) terá filmes e artistas pernambucanos



CARTAZ DE "A FILHA DO ADVOGADO" (1926), DE JOTA SOARES, QUE SERÁ EXIBIDO COM ACOMPANHAMENTO AO VIVO DE ANDRÉ ABUJAMRA

Os músicos pernambucanos Alex Mono e Pi-R estão na programação da I JORNADA BRASILEIRA DE CINEMA SILENCIOSO. Eles farão uma performance ao vivo, criada e apresentada durante a projeção do filme "Veneza Americana" (1924, 61 min.), de Hugo Farangola.

O convite partiu do músico paulista Lívio Tragtenberg, que está à frente da coordenação musical do evento, que se realizará entre 10 e 19 de agosto, na Cinemateca Brasileira (São Paulo).

Para compor sua peça musical, Alex Mono e Pi-R receberam uma cópia digitalizada do filme, providenciada pela Fundação Joaquim Nabuco, parceira do evento paulista. Eles se apresentam no dia 12/08 (domingo), às 19h, na SALA BNDES.

"Veneza Americana" faz parte do Ciclo do Recife (1923-1931), período em que a cidade foi um dos maiores pólos de produção do cinema nacional. "Aitaré da Praia" (Gentil Roiz), "A Filha do Advogado" (Jota Soares) e "Jurando Vingar" (Ary Severo), são produções que integram a Jornada.

Estão programados mais de 30 filmes silenciosos produzidos no Brasil e no exterior, em sessões com acompanhamento musical ao vivo. A idéia é apresentar uma criação musical que extrapole o característico som de pianola tocada durante as exibições da época.

Além de Alex Mono e Pi-R, foram convidados, entre outros, Arrigo Barnabé, Maurício Takara e André Abujanra. Abujanra fará o acompanhamento para o clássico pernambucano "A Filha do Advogado", rodado em 1926.

Na programação internacional estão nove títulos germânicos anteriores ao período do Expressionismo Alemão. "Die Sumpfblume" (A Flor do Pântano, 1913), de Viggo Larsen, e "Die Teulfelskirche" (A Igreja do Diabo, 1919), de Hans Mierendorff, são alguns deles.

O evento ainda contará com o pesquisador norte-americano Ben Singer que apresentará uma conferência sobre modernidade e tradição na produção pioneira do cinema dos Estados Unidos.

A programação completa está no post abaixo.

Conheça a programação da I Jornada de Cinema Silencioso (SP)



CENA DE "O CABINETE DO DR. CALIGARI"(1929), de Robert Wiene. A VERSÃO COLORIDA DO FILME INTEGRA A PROGRAMAÇÃO DA JORNADA

Para sinopses dos filmes e outros detalhes do evento, clique aqui.

10/08 – sexta - SESSÃO DE ABERTURA
21h
- Salomé (1923), 75min
- Filmes de publicidade com Greta Garbo (1920-21), 4min.
Acompanhamento musical: Eunice Martins, Jorge Peña, Lívio Tragtenberg e Robyn Schulkowsky

11/08 – sábado - SALA BNDES

17h: Conferência de Ben Singer: "Cinema, modernidade e o impulso estetizante"
19h
- A alma do cipreste / The soul of the cypress (1921), 7min
- A flauta de Krishna / The flute of Krishna (1926), 7min
- Na juventude, junto ao mar solitário / In youth, beside the lonely sea (1925), 5 min
- Diana, a caçadora / Diana, the huntress (1916), 29min
Acompanhamento musical: Duo Portal

21h
- Duas vidas / Zweimal gelebt (1912), 24min
- A bola negra / Die schwarze Kugel (1913), 39min
Acompanhamento musical: Beto Strada

12/08 – domingo - SALA BNDES
17h: Filmes para crianças (Meliés, Émile Cohl, Max Linder), 61 min.
Acompanhamento musical: Jorge Peña

19h: Veneza americana (1925), 61min
Acompanhamento musical: Alex Mono e PI.R – Teclados e programações

21h: A flor do pântano / Die Sumpfblume (1913), 52min.
Acompanhamento musical: Eunice Martins

13/08 – segunda - SALA BNDES
17h: E a luz se apagou / Und das Licht erlosch (1914), 41min
Acompanhamento musical: Eduardo Álvares

19h: Expiação / Die Sühne (1917?), 67min
Acompanhamento musical: Marco Scarassatti, Paulo Hartmann e Nelso Pinton

21h: A rainha da Bolsa / Die Börsenkönigin (1916), 53min
Acompanhamento musical: Robyn Schullkowsky

14/08 – terça - SALA BNDES
17h
- Duas vidas / Zweimal gelebt (1912), 24min
- A bola negra / Die schwarze Kugel (1913), 39min
Acompanhamento musical: Eunice Martins

19h
- A esperteza de Wanda / Wanda's Trick (1916?), 46min
Acompanhamento musical: Michelle Agnes

21h
- No cenário da vida (1930), fragmento, 10min
- Recife no Centenário da Confederação do Equador (1924), fragmento, 10min
- As grandezas de Pernambuco (1926), 30min
Acompanhamento musical: DJ F7 e DJ A.S.M.A

15/08 – quarta - SALA BNDES
14-16h: Oficina com Robyn Schulkowsky
17h: O amor de Maria Bonde / Die Liebe der Maria Bonde (1918), 43min Acompanhamento musical: Robyn Schulkowsky

19h: O estudante de Praga / Der Student von Prag (1913), 75min
Acompanhamento musical: Antônio Pinto

21h: A filha do advogado (1926), 79min
Acompanhamento musical: André Abujamra

16/08 – quinta - SALA BNDES
17h: Na trilha do Octopus / Trail of the Octopus (1919), episódios 1, 11, 12 e 15, 50min
Acompanhamento musical: Duo Portal

19h: A igreja do diabo / Die Teufelskirche (1919), 44min
Acompanhamento musical: Maurício Takara

21h: Aitaré da Praia (1925-27), 62min
Acompanhamento musical: Clarice Mantovani, José Luis e J.P. Som.

17/08 – sexta - SALA BNDES
14-15h30: Oficina com Eunice Martins

17h: Depois da tempestade / Das wandernde Bild (1919), 64min
Acompanhamento musical: Eunice Martins

19h: Veneza americana (1925), 61min
Acompanhamento: Gilberto Mauro

21h
- Vistas urbanas, 12min
- A mulher de cinza / A woman in grey (1919-20), episódios 9, 10 e 15, 36min
Acompanhamento musical: Michelle Agnes

18/08 – sábado - SALA BNDES

14-15h30: Oficina com Eunice Martins

17h: O caminho na noite / Der Gang in die Nacht (1920), 70min
Acompanhamento musical: Eunice Martins

19h: Jurando vingar (1925), 52min
Acompanhamento: Frame Circus
21h: Na trilha do Octopus / Trail of the Octopus (1919),episódios 1,11,12 e 15 (50 min) Acompanhamento musical: Arrigo Barnabé

19/08 – domingo - SALA BNDES

17h
Homenagem a Lilian Rubens:
Canção da primavera (1932), 90min
Acompanhamento musical: Laércio de Freitas

19h: Harakiri (1919), 75 min
Acompanhamento musical: Wilson Sukorski


21h: O gabinete do Dr. Caligari / Das Cabinet des Dr. Caligari (1919), 74min
Acompanhamento musical: Patife Band

SALA PETROBRAS:

As sessões da sala Petrobras não terão acompanhamentos musicais, exceto as "Sessões Assinadas".

12/08 – domingo - SALA PETROBRAS
17h:
- Duas vidas / Zweimal gelebt (1912), 24min
- A bola negra / Die schwarze Kugel (1913), 39min

19h: Aitaré da Praia (1925-27), 62min

21h:
- A alma do cipreste / The soul of the cypress (1921), 7min
- A flauta de Krishna / The flute of Krishna (1926), 7min
- Na juventude, junto ao mar solitário / In youth, beside the lonely sea (1925), 5 min
- Diana, a caçadora / Diana, the huntress (1916), 29min

13/08 – segunda - SALA PETROBRAS

17h: A igreja do diabo / Die Teufelskirche (1919), 44min
19h: A filha do advogado (1926), 79min
21h: Harakiri (1919), 75 min

14/08 – terça - SALA PETROBRAS

19h: MESA - "O estágio atual das pesquisas sobre cinema brasileiro silencioso"
21h: SESSÃO ASSINADA por MZK
- Vistas urbanas, 12min
- A mulher de cinza / A woman in grey (1919-20), episódios 9, 10 e 15, 36min

15/08 – quarta - SALA PETROBRAS
17h: MESA - "Restauração de filmes silenciosos"
19h: Expiação / Die Sühne (1917?), 67min
21h: Salomé (1923), 75miM + Filmes de publicidade com Greta Garbo (1920-21), 4min

16/08 – quinta - SALA PETROBRAS
17h: MESA - "Música e cinema silencioso"
19h: A flor do pântano / Die Sumpfblume (1913), 52min.
21h: O amor de Maria Bonde / Die Liebe der Maria Bonde (1918), 43min

17/08 – sexta - PETROBRAS
20h:
- No cenário da vida (1930), fragmento, 10min
- Recife no Centenário da Confederação do Equador (1924), fragmento, 10min
- As grandezas de Pernambuco (1926), 30min

22h: SESSÃO ASSINADA por Carlos Reichenbach:
- A esperteza de Wanda / Wanda's Trick (1916?), 46min

18/08 – sábado - SALA PETROBRAS

19h: SESSÃO ASSINADA por Julio Medaglia:
- O estudante de Praga / Der Student von Prag (1913), 75min

21h: A rainha da Bolsa / Die Börsenkönigin (1916), 53min

19/08 – domingo - PETROBRAS
17h: O caminho na noite / Der Gang in die Nacht (1920), 70min

19h: A boneca do amor / Die Puppe (1919), 55min

O gibi de Nicolas Cage



Na verdade, é o gibi de Nicolas Cage e Weston Cage, seu filho de 16 anos. "Voodoo Child" conta a história de um adolescente assassinado há 200 anos, que retorna com poderes especiais em New Orleans, após a passagem do furacão Katrina. A história se divide em seis volumes, publicados pela editora Virgin Comics.

Segundo informações da Reuters Brasil, a idéia surgiu enquanto Cage trabalhava em seu novo filme, "The Sadhu" ou "The Holy Man", baseado nos quadrinhos da Virgin.

No meio do processo de produção, Cage chamou seu filho, outro fã de HQS, e bolou o argumento de Voodoo Child. Ele foi lançado nos EUA com estilo, há 15 dias, durante a San Diego Comic Con. Naturalmene, Cage já pensa em adaptar para o cinema.

Cage é fã de quadrinhos. Seu personagem preferido é o Motoqueiro Fantasma, um papel que fez questão de interpretar no cinema.

domingo, 5 de agosto de 2007

Entrevista com RAL no site espanhol La Insignia



Cartum da RAL publicado no Pasquim

Ral, o criador simplicíssimo, é o título da entrevista feita por Urariano Mota com o cartunista RAL, o homenageado deste ano do Festival Internacional de Humor e Quadrinhos de Pernambuco - FIHQ. Para ler, clique aqui.

sábado, 4 de agosto de 2007

OFICINA DE ANIMAÇÃO GRÁTIS, NO SESC CASA AMARELA (RECIFE)

Rodrigo Dourado informa:

O Sesc Casa Amarela promove entre os dias 12 e 18 deste mês de agosto Oficinas de Animação com produção de filmes para alunos e para professores. Os oficineiros serão Henrique Kopke e Márcio Salles, ambos ligados ao Festival Anima Mundi. As oficinas terão duas turmas, de 20 participantes cada, e serão INTEIRAMENTE GRATUITAS.

Estamos enviando as fichas de inscrição que podem ser preenchidas e enviadas por correio eletrônico como resposta para este endereço. As inscrições estarão sujeitas a uma seleção, devido ao número reduzido de vagas, e serão confirmadas posteriormente. O envio da ficha, portanto, não implica a inscrição automática.

A oficina proporciona uma rápida abordagem teórica e uma experiência prática em cinema de animação, através da exibição de filmes didáticos do acervo do festival Anima Mundi e da realização de um filme de animação coletivo pela turma, que elaborará um roteiro e produzirá as cenas de animação com técnicas variadas, podendo utilizar desenho, recortes ou modelagem em massinha.

As cenas de animação serão produzidas no decorrer da semana e, ao fim do curso, serão editadas e sonorizadas em vídeo.

O curso será ministrado para duas turmas na mesma semana: uma de jovens a partir de 12 anos, e outra para adultos, destinada prioritariamente a professores e educadores.

Turma para Alunos: Turno Manhã (9h às 13h)
Turma para Educadores: Turno Tarde (14h às 18h)

Duração: 5 dias x 4 horas – 20 horas por turno

Participantes: 20 pessoas por turno

Conteúdo Programático do curso de AnimaçãoIntrodução à linguagem da animação: técnicas e formatos.
Exercício de animação com flip-book.
Exercício prático de roteiro e storyboard.
Desenho e/ou modelagem de personagens e confecção de cenários.
Animação e filmagem quadro-a-quadro.

Informações: 88183672 (Rodrigo Dourado) e 32674410
SESC Casa Amarela: Av. Professor José dos Anjos, 1109, Mangabeira - Recife - PE. CEP: 52110-130

sexta-feira, 3 de agosto de 2007

"KFZ-1348", de Marcelo Pedroso e Gabriel Mascaro terá exibição neste domingo, no SBT



A Símio Filmes convida para a exibição em rede nacional de "KFZ-1348", de Marcelo Pedroso e Gabriel Mascaro. Produzido pela Rec Produtores Associados, "KFZ-1348" será exibido na rede SBT, neste próximo domingo, dia 05, à meia-noite, como parte do programa "Documenta Brasil".

Recife: Vagas abertas para curso de figurino: O métier do figurinista

Bárbara Cunha convida para o primeiro Curso de figurino para cinema no Recife: "O métier do figurinista".

Objetivo: Ensinar uma metodologia para ser aplicada na execução de um figurino para cinema, iniciando pela leitura técnica até a criação de um projeto de figurino com suas inúmeras etapas a serem cumpridas. Estudar o processo de criação e execução de um figurino, desde a leitura de um roteiro até a apresentação do projeto, com o estudo das cores e a escolha dos materiais. Noções básicas da história da indumentária.

Programa:
análise técnica / decupagem de roteiro;
paleta de cores;
trabalho em equipe- direção, direção de arte e fotografia – hierarquia e funções;
análise de filmes, fotos e textos e a pesquisa de figurino (história, referências plásticase estéticas cotidianas, etc).

Público alvo:
Estudantes (e profissionais) iniciantes das áreas de moda, artes cênicas, design, cinema, comunicação que pretendam uma especialização, aprofundamento ou iniciação na área de figurino para cinema.

Carga horária:
De 09 a 13 de agosto de 2007, das 09 às 12h, no CTG – Centro de Treinamento Gráfico.

Ministrante: Bárbara Cunha - Formada em design pela UFPE, trabalha como figurinista, com mais de 6 (seis) anos de experiência na área e atuação em Recife, Rio de Janeiro, São Paulo, etc. - em cinema, televisão, teatro e demais mídias artísticas. Em seu currículo, trabalhos com os diretores Leo Falcão, Eryk Rocha, Paulo Caldas, Lírio Ferreira, Cláudio Assis, Júlio Bressane, Cacá Diegues, João Falcão, Ana Kfouri, entre outros. De estagiária de figurino, passando pela assistência de figurino até chegar a assinar seus próprios trabalhos como figurinista, Bárbara Cunha conta com 5 longa-metragens, 1 programa de televisão (canal Futura), dois especiais para a Rede Globo, 3 videoclipes, 1 DVD, 4 peças de teatro e 8 curtas. Para o ano de 2007, filmou uma minissérie para o SBT e três projetos com seu nome no figurino encontram-se em fase de captação: dois longa-metragens e uma peça de teatro. Para o ano de 2008, outros projetos encontram-se também em fase de captação.

Mais informações:
www.ctg.org.br
marketing@ctg.org.br

Cinema da Fundação: homenagem a Bergman e Antonioni + programação da semana



Nesta semana estréia no Cinema da Fundação o filme iraniano “Fora do Jogo”, em que um grupo de mulheres tenta entrar numa eliminatória para a Copa do Mundo na cidade de Teerã. O problema é que a lei do Irã proíbe mulheres em estádios de futebol. “Fabricando Tom Zé” entra na 2a. Semana, e “Uma Mulher Sob Influência” se despede com duas últimas sessões.

Em homenagem póstuma aos grandes diretores Ingmar Bergman e Michelangelo Antonioni, a sala exibirá sessões especiais de “Infiel” (1999), filme de Liv Ullmann, com roteiro autobiográfico de Ingmar Bergman, e “Minha Viagem à Itália” (2001), de Martin Scorsese, documentário especial sobre os principais mestres do cinema italiano, com destaque para Antonioni.

CINEMA DA FUNDAÇÃO - Programação de 3 a 9 de Agosto de 2007

Estréia
FORA DO JOGO(Offside, Irã, 2006). De Jafar Panahi.
Com Sima Mobarak Shahi, Safar Samandar e Shayesteh Irani. Depois das exibições na programação especial do Cinema da Fundação no Festival de Inverno de Garanhuns, estréia no Recife Fora do Jogo. O diretor iraniano Jafar Panahi aborda um grupo de garotas que fazem de tudo para entrar no Azadi Stadium, em Teerã, para assistir a uma partida das eliminatórias da Copa do Mundo. No Irã, as mulheres são proibidas de freqüentar estádios. Um grupo de seis garotas, fanáticas por futebol, se disfarça e tenta driblar os seguranças para conquistar um lugar nas arquibancadas. Panahi dirigiu O Espelho (1997) e O Círculo (2000), ambos exibidos no Cinema da Fundação, e seus filmes geralmente são proibidos no seu próprio país (Fora do Jogo foi oficialmente banido). Os atores são todos amadores e o futebol é apenas um bilhete de entrada para o principal assunto tratado, a intolerância e a falta de liberdade. Vencedor do Urso de Prata - Festival de Berlim 2006. Pandora / 88 min / Dolby SR / Livre / Inédito

Horários:
Sexta: 18h45 / 20h30
Sábado: 20h40
Domingo – 18h / 19h50
Terça – 16h15 - 20h45
Qua – 18h
Qui-18h

_________________________________________________

2 Sessões Especiais BERGMAN,
Sábado, 17h45, Quarta, 19h45

I n f i e l(Trölosa, Suécia, 1999). Um filme de Liv Ullman, com roteiro de Ingmar Bergman. O Cinema da Fundação promove projeção especial para marcar a morte de Ingmar Bergman, aos 89 anos, esta semana. Ao invés de homenagear o autor com obras suas já muito conhecidas como “Morangos Silvestres” ou “O Sétimo Selo”, fomos nos arquivos encontrar uma das suas últimas colaborações de Ingmar Bergman com Liv Ullmann, sua ex-mulher e colaboradora numa dezena de filmes. INFIEL (Trölosa, 1999) é tido como um dos melhores roteiros escritos por Bergman ao longo de toda a sua carreira e tem como base a sua própria relação de infidelidade com as mulheres que passaram pela sua vida, Ullmann incluída. Esta investigação perturbadora sobre o fim de uma relação vem sem sentimentalismos ou compromissos com a idéia de “aliviar” para o espectador, num ensaio forte em formato de terapia que condensa algumas das marcas principais do cineasta sueco. Ele próprio participa da narrativa através do personagem identificado como “Bergman”, aqui interpretado por Erland Josephson. Imperdível. O filme foi apresentado no Cinema da Fundação há cinco anos e fez parte da Seleção Cannes 2000. Tela Plana / Dolby SR / 16 anos / 154 mins.

Horários:
Sab – 17h45
Qua – 19h45

Sessão Especial ANTONIONI, Segunda-Feira, 18h
ENTRADA FRANCA para esta sessão
Minha Viagem à Itália. Um filme de Martin Scorsese. O Cinema da Fundação oferece rara oportunidade de ver na tela grande uma apaixonada declaração de amor ao cinema. O cineasta Martin Scorsese apresenta o que resulta num maravilhoso curso intensivo sobre o cinema italiano que tanto o influenciou, apresentando imagens e interpretações pessoais dos grandes mestres Vitorio de Sica, Roberto Rossellini, Federico Fellini, Luchino Visconti e Michelangelo Antonioni, cada um deles ganhando uma aula concisa, falecido esta semana. Scorsese lembra com especial paixão de O Eclipse (1962), de Antonioni, como “a obra que mais abriu minha cabeça para as possibilidades da linguagem cinematográfica”. Por causa da longa duração desta experiência rara, teremos intervalo de 15 minutos durante a projeção. Seleção Cannes 2001. Tela Plana / Mono / 12 anos / 240 mins.
________________________________________________
2a. Semana
FABRICANDO TOM ZÉ De Décio Matos Jr. Com depoimentos de Tom Zé, Gilberto Gil, Caetano Veloso, David Byrne, Neusa Martins e outros. O documentário retrata a vida e obra de um dos mais controversos Tropicalistas, Tom Zé, 70 anos, cuja turnê pela Europa em 2005 é aqui o fio condutor. O filme mistura diferentes formatos de vídeo, película e animação para apresentar uma detalhada visão do universo musical de Tom Zé, para o qual um baixo e um esmeril têm a mesma importância melódica. Em entrevistas intimistas, ele narra diversas fases de sua vida e conta como começou sua carreira na década de 60, o ostracismo nos anos 70 e seu ressurgimento no início anos 90. http://www.fabricandotomze.com.br Estação / Dolby SR / Inédito / Livre / 89 min.

Horários:
Sexta – 17h
Sábado - 16h
Domingo - 16h15
Qua – 16h10
Qui – 16h15

3ª semana
Uma Mulher Sob Influência (A Woman Under The Influence, EUA, 1974). De John Cassavetes. Com Peter Falk, Gena Rowlands, Matthew Cassel, Katherine Cassavetes, Lady Rowlands, Fred Draper. A distribuidora Estação está disponibilizando cópias restauradas de clássicos do mestre nova-iorquino John Cassavetes (1929-1989). Com uma vasta filmografia de difícil acesso no Brasil (seus filmes não foram lançados em DVD), o Cinema da Fundação traz ao Recife o primeiro de alguns que mostram a verve visceral do diretor e sua vocação para os temas urgentes da vida. Em “Uma Mulher sob Influência” Peter Falk é Nick, um trabalhador sobrecarregado e melancólico que tenta lidar com a instabilidade mental de sua esposa Mabel (Gena Rowlands). Ele luta para manter as aparências da normalidade em oposição ao comportamento desregrado de sua esposa. Mas Nick precisa agir quando os atos dela começam a afetar seus filhos. Indicado para o Oscar 75 de melhor direção e atriz (Rowlands). Globo de Ouro 75 de Melhor Atriz Drama para Rowlands. 155min. / Filmes do Estação / Mono / Tela Plana / Livre

Horários:
Terça – 18h
Qui – 19h45

Tela Grande (em cartaz)// MOSTRA NOVO OLHAR SOBRE O CINEMA AFRICANO

NOVO OLHAR SOBRE O CINEMA AFRICANO
04 a 08 de agosto de 2007
Cinema Apolo - Rua do Apolo, 121, Bairro do Recife
Sessões às 17h30, 18h30 e 19h45. Entrada franca

A Prefeitura do Recife em parceria com a Embaixada da França no Brasil realizam a Mostra Novo Olhar Sobre o Cinema Africano, de 04 a 08 de agosto, no Cinema Apolo. No total, serão exibidos 16 filmes e vídeos de curta, média e longa-metragem, no formato DVD e oriundos de 14 países do continente africano.

Dentre os dois curtas, seis médias e oito longas-metragens estão ficções, experimentais e documentários. A sessão de abertura na quarta-feira será apresentada pela pesquisadora e atriz carioca Ana Paula Jones, produtora do vídeo Metii Enkare, de Leonardo Brant, um dos diretores da ONG paulista Instituto Pensarte.

Estão representados na mostra países como Senegal, Camarões, Guiné Bissau, Chade, Burkina Fasso, Benin, Cabo Verde, Congo, Mauritânia, África do Sul, Namíbia, Zimbabwe e Quênia, alguns em co-produção com Portugal, Brasil, França, Luxemburgo, Bélgica e Alemanha.

PROGRAMAÇÃO
Sábado, 04 de agosto
17h30
XALIMA LA PLUME (FRA/SEN, 2003, 51 minutos), de Ousmane M?Baye. Precursor da música folk senegalesa muda-se para a França onde se apresenta em clubes de jazz. Ao sentir que a juventude de seu país o desconhece decide voltar a Dacar para gravar os seus últimos trabalhos.

18h30
FÉRIAS EM CASA (Vacances au Pays, FRA/CAM, 2000, 75 minutos), de Jean-Marie Teno. Diretor retorna ao seu país percorrendo da capital Yaondé a Badjoun, cidade onde costumava passar as férias. Uma denúncia sobre a incompetência administrativa e o fascínio da população local pela Europa e a modernidade.

19h45
NHA FALA (FRA/GUI/CAB/LUX/POR, 2002, 90 minutos), de Flora Gomes. Em Cabo Verde, tudo vira música. Vita vai estudar na França e se apaixona por Pierre. Mas ela desafia a tradição da casta e decide voltar para casa a fim de receber um castigo.

Domingo, 05 de agosto
17h30
RASTROS, PEGADAS DE MULHER (Traces, Empreintes de Femmes, FRA/BEL/BUR/SEN, 2003, 52 minutos), de Katy Léna Ndiaye. As pinturas murais das mulheres kassenas de Burkina Faso, perto da fronteira com o Gana, famosas pela harmonia e cor.

18h30
SI-GUERIKI, RAINHA MÃE (Si-Gueriki, La Reine Mère, FRA/ALE/BEN, 2002, 62 minutos), de Idrissou Morakpai. Mãe do cineasta é herdeira de título real do marido e torna-se uma autoridade na comunidade de Wassangari, ao norte do Benin. Denúncia do sistema patriarcal vigente.

19h45
O PREÇO DO PERDÃO (Le Prix du Pardon, FRA/SEN, 2001, 90 minutos), de Mansour Sora Wade. Um espesso nevoeiro cobre durante vários dias uma aldeia da costa sul do Senegal. O velho religioso está moribundo e não pode executar os ritos. Seu filho de 20 anos deve substituí-lo na tarefa.
Venceu o Prêmio Tanit de Ouro no Festival de Cartago.


Segunda-feira, 06 de agosto
17h30
CONTOS CRUÉIS DE GUERRA (Contes Cruels de la Guerra, FRA/CON/MAU, 2002, 51 minutos), de Ibea Atondi e Karim Miské. Olhar singular sobre as guerras da África contemporânea, tomando como base um miliciano envolvido com o álcool e as drogas.

18h30
ZIMBABWE: CONTAGEM REGRESSIVA (Zimbabwe, de la Liberatión au Chaos, FRA/ZIM, 2003, 55 minutos), de Michael Raeburn. O caos social e a falência econômica do país, antes da emancipação da Rodésia. Os apartidários de Robert Mugabe derrotam os britânicos após 15 anos de guerrilha.

19h45
MEMÓRIA ENTRE DUAS MARGENS (Mémoire Entre Deux Rives, FRA/BUR, 2002, 90 minutos), de Frédéric Savoye e Wolimité Sié Palenfo. A colonização francesa na região de Lobo, a sudoeste de Burkina Faso se pauta na tradição oral e restaura um século de história.


Terça-feira, 07 de agosto
17h30
WA N?WINA (FRA/AFS, 2001, 52 minutos), de Dumisani Phakathi. Reencontro com amigos de infância mostra que uma em cada duas pessoas estão fadadas a serem contaminadas pelo vírus da AIDS. Todo filmado em Soweto, na África do Sul.

18h30
RUANDA IN MEMORIAN (FRA/SEN, 2003, 68 minutos), de Samba Félix N?Diaye. Entre abril e julho de 2004 o massacre dos tutsi e dos hutus deixou um saldo de um milhão de vítimas. Um encontro de intelectuais em Kigali, Uganda, quatro anos depois tenta quebrar o silêncio a respeito do genocídio.

19h45
TASUMA, O FOGO (Tasuma, Le Feu, FRA/BUR, 2003, 90 minutos), de Kollo Daniel Sanou. Antigo atirador que lutou com o exército francês na Indochina e na Argélia espera ganhar pensão de aposentadoria mas enfrenta a burocracia. Com a intenção de ajudar as mulheres de sua aldeia compra, a crédito, um moinho, que não poderá pagar.


Quarta-feira, 08 de agosto
17h30
HOUSE OF LOVE (FRA/AFS/NAM, 2001, 26 minutos), de Cécil Moller. Imprensado entre o mar e o deserto, o porto de Welvis Bay, na Namíbia, é uma prisão a céu aberto para a pequena comunidade de mulheres obrigadas a se prostituírem.

METII ENKARE (QUE/BRA, 2007, 10 minutos), de Leonardo Brant. Relato de experiência de brasileiros em tribo Maasai, de Nairóbi, no Quênia, durante o Fórum Social Mundial em janeiro deste ano. O título do filme alude à falta de água na região.

18h30
POEIRA URBANA (Poussières de Ville, FRA/CON/SEN, 2001, 52 minutos), de Moussa Touré. Sete crianças vivem no mercado de Brazaville. Elas perambulam pela cidade atrás de comidas e pequenos biscates.

19h45
ABOUNNA (FRA/CHA, 2002, 81 minutos), de Mahamat-Saleh Haroun. Adolescente e criança abandonados pelo pai no dia em que ele deveria ser o árbitro de futebol numa partida de futebol entre garotos do bairro. Na busca pelo pai nas ruas da cidade, os dois se refugiam numa sala de cinema. Representante oficial do Chade ao Oscar 2003.