sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

Estreia // "Simplesmente complicado", de Nancy Myers



Simplesmente complicado (It's complicated, EUA, 2010), de Nancy Myers, parte do sempre interessante argumento sobre como pessoas encaram as relações amorosas na maturidade. Pena que desanda para situações que só podem ser vividas por gente que estacionou na idade mental de 12 anos. Triste constatar que comédias românticas, gênero que vez em quando rende bons filmes como o recente Amor sem escalas continua patinando na mais completa e esquecível superficialidade.

Meryl Streep é Jane, dedicada mãe de família que ganha a vida vendendo croissants e outros quitutes. Separada há uma década, ela se reaproxima do ex-marido Jake (Alec Baldwin). Apesar de ter um filhinho adorável e uma esposa jovem e bonita, Jake está infeliz no atual casamento e decide investir na antiga relação com argumentos de advogado e delicadeza de rinoceronte.

O filme centra no dilema de Jane, dividida entre o affair com Jake e a asséptica mas genuína paixão que alimenta com seu arquiteto Adam (Steve Martin). No auge da sua indecisão, Jane arranca de seu terapeuta a autorização para ir em frente e verificar o que há entre ela e seu ex-marido. Uma sessão de marijuana, compartilhada pelo triângulo acrescenta certa diversão.

Como plateia pontual, temos as amigas de maquiagem e penteados exagerados, provavelmente retiradas de alguma série kitsch de TV. Já os filhos assistem a tudo com o chapéu do Clube do Mickey, de olhos vidrados, obedientes e atentos a cada palavra dos pais. Difícil encontrar o que há de simples nessa história. E complicado mesmo, é encarar Baldwin nu, se exibindo para uma webcam.

(Diario de Pernambuco, 26/02/2010)

Um comentário:

disse...

amei seu saudável sarcasmo!
R.