sexta-feira, 1 de junho de 2007

Tela Grande (estréia): Dois festivais de documentários simultâneos no Recife

A partir de amanhã, Recife se transforma na capital do cinema documental. Por coincidência, dois eventos dedicados a esta forma de fazer filmes concorrem pela atenção do público: entre os dias 2 e 6 (de sábado a quarta-feira) há o Panorama Recife de Documentários 2007, organizado pela Prefeitura do Recife; e de 4 a 10 (de segunda a domingo), se realiza o projeto Documentário em Pauta, produzido pela Fundação Joaquim Nabuco (Fundaj). Entre as presenças ilustres a debater seus filmes e discutir os rumos e sentidos do documentário, figuram João Moreira Salles, diretor de "Santiago" (2007), Amir Labaki - organizador do Festival Internacional de Documentários É Tudo Verdade, e Linduarte Noronha, que vem apresentar "Aruanda" (1960), marco zero do documentário sociológico brasileiro, e uma das sementes responsáveis pelo Cinema Novo.

Pela primeira vez, o É Tudo Verdade estende sua programação até o Recife. A abertura é de "O Longo Amanhecer", a cinebiografia de Celso Furtado, assinada pelo carioca José Mariani. Krzysztof Kieslowski, um dos diretores homenageados este ano, integra a programação com três curta-metragens: "O Escritório" (1966), "Curriculum vitae" (1975), e "Meu Kieslowski", uma entrevista com a filha do cineasta polonês feita por Irina Volkova. Na quarta-feira, é a vez dos curtas "Aruanda" e "O Cajueiro Nordestino" (1962), do paraibano Linduarte Noronha, outro grande nome homenageado. O filme tem proporções míticas, e adquire ainda mais importância com a presença do diretor. Amir Labaki, o idealizador da mostra, estará na terça-feira lançando três livros por ele escritos ou organizados: Introdução ao Documentário Brasileiro; Reflexões sobre a Cultura do Documentário; e O Cinema do Real.

Por sua vez, a quarta edição do Panorama Recife de Documentários traz uma maratona de 40 produções audiovisuais de 14 estados brasileiros e nove países, para as telas os municipais Cinema Apolo (com entrada franca) e Cinema do Parque (R$ 1). São 12 longas-metragens, sete médias e 21 curtas. Além disso, haverá debates na Livraria Cultura (Paço Alfândega – Recife Antigo). A homenagem desta edição vai para a TV Viva, sediada em Olinda, que está representada na programação com o curta "Desde Cuba Hasta Pernambuco", de Nilton Pereira (Cinema Apolo, domingo, às 15h).

"Oscar Niemeyer - A Vida É Um Sopro", de Fabiano Maciel, abre a mostra numa cidade em pleno fogo cruzado quando o assunto é o arquiteto comunista – pois é dele o polêmico projeto para o futuro Parque de Boa Viagem. João Moreira Salles vem ao Recife apresentar seu "Santiago" na quarta-feira, às 19h, no Apolo. O filme é uma entrevista com o mordomo de Salles, que revela em suas memórias sua vasta cultura.

A programação completa do É Tudo Verdade está aqui, e do Panorama Recife de Documentários, aqui.

2 comentários:

Biscoito disse...

Olá...
Gostei muito do Blog e resolvi mandar uma mensagem
Fiquei fã viu?
Adoro cinema.

Biscoito disse...

E adoro Recife, Olinda, Pernambuco e adjacências risos...